Condex Sinaiticus

13 07 2009

12313654

LONDRES – As partes sobreviventes da mais antiga Bíblia do mundo serão reunidas online nesta segunda-feira (06/07).

O Codex Sinaiticus foi manuscrito por quatro escribas gregos em couro animal, um material conhecido como velino, na metade do século 4, mais ou menos no período em que o imperador romano Constantino, o Grande, adotou o cristianismo como religião oficial do Estado.

Nem todo o documento sobreviveu aos estragos do tempo, mas as páginas que ainda existem incluem todo o Novo Testamento e a cópia sobrevivente mais antiga dos Evangelhos escritos em diferentes momentos depois da morte de Cristo pelos quatro evangelistas: Mateus, Marcos, Lucas e João.

As 800 páginas e fragmentos que restam da Bíblia – que originalmente tinha 1.400 páginas – contêm igualmente uma cópia do Velho Testamento. A outra metade se perdeu.

“O Codex Sinaiticus é um dos mais antigos tesouros escritos do mundo”, disse Scot McKendrick, diretor de manuscritos ocidentais na British Library.

“Esse manuscrito de 1.600 anos de idade oferece um vislumbre sobre o desenvolvimento do cristianismo em seus primeiros anos e provas em primeira mão de como o texto da Bíblia foi transmitido de geração em geração”, disse.

Os textos incluem numerosas revisões, acréscimos e correções realizados ao longo de sua evolução.

“O Codex é provavelmente o maior livro encadernado a ter sobrevivido”, afirmou McKendrick, informando que cada página tem 40 centímetros de altura por 35 de largura.

“Em termos críticos, ele marca o claro triunfo dos códices encadernados sobre os rolos de papiro – um importante marco para determinar a maneira como a Bíblia cristã se transformou em texto sagrado”, acrescentou.

Os textos são uma compilação de seções guardadas pela British Library, de Londres; pelo mosteiro de Santa Catarina do Sinai, no Egito; pela Biblioteca Nacional da Rússia e pela biblioteca da Universidade de Leipzig, na Alemanha.

Fonte: Irmãos.com

Anúncios




Paciência de Jó

13 07 2009

paciencia

É engraçado, quantas vezes nós já não ouvimos falar esse termo “paciência de Jó” e muitas pessoas nem sabem o por que usamos, essa semana eu peguei para ler Jó, estou lendo ainda, no começo, mas eu sempre achei fantástico o primeiro capítulo, se você quer entender um pouco melhor esse texto, faça a experiência, leia o primeiro capítulo de Jó, se você não tá muito afim, eu vou dar uma resumida no que acontece:

Jó era um cara muito rico, e temia muito a Deus, era um homem integro, de um bom caráter, e Deus sabia disso. Então o diabo fala pra Deus que Jó só é fiel por que Ele era rico e tudo mais, mas se Deus permitisse deixar que ele fizesse algumas “atrocidades” com Jó, então Jó negaria a fé que ele tinha. Então, Deus assim permitiu, em apenas um dia, Jó perde todos seus rebanhos de animais, e todos os seus filhos morrem em uma festa. Então, os versículos a seguir retratam a cena que ocorre depois:

1:20    ¶ Então Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou.
21    E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o SENHOR o deu, e o SENHOR o tomou: bendito seja o nome do SENHOR.
22    Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma.

Talvez agora você tenha mais certeza do que significa a expressão “paciência de Jó”, e se a gente for parar pra pensar, tinha acabado de morrer os seus filhos, e ele faz a questão de rasgar suas vestes, raspar sua cabeça, lançar-se em terra e adorar a Deus, naquele momento crucial da vida dele, onde nas nossas vidas, eu tenho certeza que iria estar rolando na cabeça dele, como na de muita gente, um monte de dúvida, a respeito de si mesmo, e de quem Deus é, a respeito dos planos de Deus sobre nossas vidas, a respeito de tudo! Temores e horrores passavam ali por aquela vida, aquela mente de Jó, mas mesmo assim, Ele entregou tudo nas mãos de Deus, se humilhou, se prostrou diante de Deus e o adorou.

E ainda afirma um verso após este, que ele veio nú para o mundo, e que nú voltaria, ele veio sem nada, e voltará sem nada. As vezes nós temos tantas coisas e nem agradecemos a Deus, então, quando essas coisas são tomadas, aí então corremos para Deus.  Mas Jó não, sabia que tinha vindo da terra e que para o pó ele voltaria, e adorou ao único que era digno de ser adorado ali. Tantas coisas acontecem nas nossas vidas, e essas coisas por muitas vezes nos geram dúvidas, medos, inconstâncias no nosso coração, mas busquemos a Deus e entreguemos a Ele tudo o que tem nos afligido e tudo aquilo que tem colocado em risco a nossa identidade, aquilo que nós somos, aquilo que Deus preparou para a nossa vida, coloquemos então, tudo diante dele, e o adoremos.

Alternativa7